mapa risco incendio

Vale do Peso

deposito aguaNo distrito de Portalegre, concelho de Crato, fica situada a aldeia de Vale do Peso, a cerca de 10 quilómetros da sede concelhia. Vale do Peso tem por orago Nossa Senhora da Luz, celebrada anualmente a 2 de Fevereiro.

O topónimo ”Vale“ é muito comum, tanto no nosso País como na Galiza, sendo usado frequentemente em nomes compostos. Aqui o composto é ”do Peso“, e sobre ele há quem defenda que vem de penso, ”refeição dos animais de carga“ (cf. O castelhano pienso) e depois ”local onde eram alimentados“; mas é igualmente provável que venha do latim vulgar pensus, ”suspenso“, uma alusão a acidentes topográficos de regiões montanhosas.

estacao velhoresQuanto à ancianidade do seu povoamento, a tradição afirma que Vale do Peso está assente sobre as ruínas de outra povoação, a de ”Cidade do Peso“, nome derivado de uma pedra de forma regular que provavelmente pela sua configuração, fazia lembrar um peso antigo. Nesta freguesia existem de facto indicações arqueológicas, sepulcrais, de que este território foi povoado em épocas muito recuadas, talvez pré-romanas, pois quem em muitos sítios apareceram sepulturas cavadas na rocha, a par das quais é também de assinalar a existência de edificações dolménicas, cujos vestígios foram descobertos durante a primeira metade do século XX.

Nos primeiros tempos da Nacionalidade, parece que todo este território estaria algo despovoado, situação que se reverteu de imediato com a doação de Crato, por D Sancho II, à Ordem do Hospital.

painelComo muitas outras povoações, também Vale do Peso sofreu danos significativos durante a Guerra da Restauração, bem como com as Invasões Francesas, que quase destruíram esta freguesia.

Em Março de 1811, já durante a retirada, as tropas napoleónicas acamparam junto de Vale do Peso, num terreno aberto, povoado então de sobreiros e azinheiras, e fronteiro ao actual cemitério.

O priorado hospitalário de Crato criou a paróquia de Nossa Senhora da Luz de Vale do Peso, em data ignorada, depois do século XV ou XVI; razão pela qual, ainda nos últimos tempos dos padroados, o Grão Prior do Crato apresentava o cura de Vale do Peso, com um rendimento anual de uns 120 alqueires de trigo, 24 almudes de ”vinho cru“, meia carga de ”uva preta“ e 3 mil réis em dinheiro. Em termos administrativos, como domínio inicial do castelo do Crato e termo desta vila, a freguesia foi sempre do concelho do Crato.

igrejaFazem actualmente parte do seu património cultural e edificado: a Igreja Paroquial, seiscentista, cujo interior foi remodelado em 1660 e na segunda metade do século XVIII; os solares das ruas Carlos Carvalho da Costa e Manuel Subtil; o edifício da Estação de Caminho-de-Ferro; as fontes de Santa Eulália, da Bica, Nova e Formosa; a ponte romana; e as necrópoles do Chamiço e do Azinhal.

A nível económico, a criação de gado lanígero e a lavoura, com primazia para a cultura do centeio, embora a do trigo não deixasse de ser também importante, foram sempre as ocupações predominantes dos habitantes da freguesia. Actualmente continuam a dedicar-se sobretudo á agricultura, além da prática de outras actividades como: a olivicultura, a exploração florestal, a extracção de cortiça, a indústria de panificação, a construção civil, o comércio e os serviços.

CONTACTOS

União das Freguesias de Crato e Mártires, Flor da Rosa e Vale do Peso
Rua da Portela Nº- 22  Apt. 24 | 7430-143 Crato


Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Telefone: 245 996 421
Fax: 245 997 306
Website: uf-concelhodocrato.pt


Horário: 09.00h ás 12.30h e 14.00h às 17.30h

Atendimento pelo Presidente, às Quintas:
1ª Quinta - Flor da Rosa; 2ª Quinta - Vale do Peso; 3ª Quinta - Crato; 4ª Quinta - Pisão.